quarta-feira, 1 de maio de 2013

Dia do Trabalho (01 de maio de 1974)



Data de hoje, consagrada universalmente ao Trabalho, representa uma hosana de homenagens aos trabalhadores de todo o mundo.

O brasileiro, dotado de inegáveis pendores cristãos, em que pese o próprio cosmopolitismo de suas raças originais, é por excelência e natureza, uma criatura das mais sensíveis e amorosas. O nacional habituou-se a tributar homenagens à classes, grupos, nomes e datas. Nas proporções comparativas que marcam os eventos, todas essas homenagens e comemorações são justas, gratas e profundas.

--:--

Homenagear o Trabalho é dignificar o próprio progresso, que as mãos e as inteligências humanas acionam, projetam e desenvolvem.

Render um tributo de respeito e de homenagem aos Trabalhadores é saber reconhecer, nas multivariadas atividades dos homens, os sustentáculos que contróem a grandeza das próprias nações.

Ao ról imenso das atividades humanas, a elasticidade natural de centenas de profissões e de atividades, procedamos, por justiça, mesmo resguardando a diversificação de níveis de cultura, de técnica e de força, um só nivelamento homenageativo.

--:--

Rendendo, portanto, homenagem aos Trabalhadores, congratulamo-nos, indistintamente, com os que exercem suas diferentes atividades profissionais.

Todos eles, sob os pesos das responsabilidades de diferentes profissões, constituem a equipe gigantesca que engrandece e constrói esta oficina maravilhosa de trabalho que é o Brasil.

--:--

O cientista, que vara noites pesquisando e descobrindo, melhorando e valorizando a própria ciência, com o objetivo de proporcionar melhores condições de saúde para a humanidade.

Os governos e os legisladores, sob cujos ombros repousa a esperança de melhores dias para todos.

Os militares e os policiais, sob cuja responsabilidade se antepõe a tranquilidade da família e da sociedade.

Os mestres, que incutem nas novas gerações as luzes da ciência e do saber. Os viajantes, que promovem o intercâmbio comercial e industrial da Pátria. Os profissionais liberais, de cujo quinhão de trabalho e especialidade redunda a complementação da sistemática e da hermenêutica, que garantem, tranquilizam e geram as colaborações de contribuição para a saúde e pessoa física das gentes. Os comerciantes e industriais, que, suprindo as necessidades do mercado e do consumo popular, se constituem nos mananciais garantidores das vidas.

Os funcionários, responsáveis pela condução das máquinas administrativas. Os ferroviários e os motoristas, que, transportando gentes, transportam também o próprio progresso.

--:--

Em especial o comerciário comum, o industriário comum. Os agricultores, que amainam a terra, depositando em seu ventre as sementes esperançosas, que transformam em colheitas, para garantir o alimento humano. Os pequenos artezãos. Os mecânicos, os sapateiros, os tintureiros, os alfaiates, os gráficos, os pequenos jornaleiros, o servente de pedreiro.

Todos eles, enfim.

Esses soldados do progresso de Trabalho.

Esses trabalhadores humildes e simples de nossa Pátria.

A eles, em especial, a homenagem neste Dia do Trabalho.

Extraído do Correio de Marília de 01 de maio de 1974

Nenhum comentário: