sábado, 17 de dezembro de 2011

Notícias em Pílulas (17 de dezembro de 1959)

Os aficionados do futebol profissional em Marília estão ainda com um espinho atravessado na garganta, face à derrota sofrida pelo São Bento domingo último, frente ao Corinthians de Presidente Prudente. Acontece que êles têm razão...

--:--

Continua duvidosa a situação política no Paraguai. Continua algo insustentável a posição do ditador Stroessner. Temos, pelo visto, a repetição dos fatos ocorridos na Argentina e em Cuba. Positivamente, êsses latinos gostam mesmo de derrubar govêrnos...

--:--

Desatenciosa foi a Câmara Municipal para com a Associação Comercial de Marília, nem sequer dando uma satisfação ao conteúdo de um oficio dirigido por aquela entidade ao Legislativo, solicitando dêste providências com respeito à ornamentação da cidade por ocasião das festas natalinas.

--:--

Um leitor dêste jornal, que, pelo visto, dever ser político, nos escreveu uma carta para opinar sôbre a constituição da nova Mesa da Câmara Municipal. Pediu-nos a divulgação. Embora a carta esteja assinada e identificada, não podemos publicá-la porque seu conteúdo é impublicável. Entretanto, a coluna “secção livre” estará franqueada.

--:--

Positivamente, o comércio das chamadas Cestas de Natal deve ser grandemente rendoso. Senão, como justificar os rios de dinheiro gastos em publicidade, os fabulosos prêmios anunciados e as centenas de vendedores do produto, a chatear a gente dia inteiro?

--:--

Domingo vindouro o São Bento preliará ante a equipe do Estrela da Saúde F. C., da Capital. Agora, a pergunta: Pagará o Estrêla pelo que não fez, sofrendo impiedoso revez frente ao São Bento, ou o alvi-rubro voltará a decepcionar?

--:--

Há em Marília os que acreditam que a viagem frustrada à nossa cidade domingo passado, pelo sr. Secretário da Educação, tenha como justificativa, motivos outros que não os alegados, ou seja, a greve aeroviária. Será?

--:--

Está a cidade novamente infestada de pedintes. Dia e noite, um exército de mendigos (falsos ou verdadeiros?) perambulam pelas ruas centrais, estendendo a mão. Já nem falam em “pelo amor de Deus” ou outras “chapinhas” conhecidas. Simplesmente estendem a mão. Parece que até elementos de cidades vizinhas aqui estão aportando para fazer as “colheitas”. Na madrugada de ontem, cêrca das duas horas da manhã, u’a mulher continuava pedindo nos bares da cidade, pessoa que estava fazendo aquele “trecho” desde o começo do dia. Não será abuso a mesma pessoa pedir, nos mesmos locais, catorze horas seguidas?

--:--

Um lembrete aos organizadores da distribuição de presentes de Natal aos pobres. Façam o trabalho de maneira rápida, a fim de ser evitados os espetáculos do ano passado, com filas demorando três ou mais horas para o atendimento e gente desmaiando de fome nas próprias “bichas”.

--:--

Entendemos como urgente a interferência da COMAP no setor dos preços de ovos, aves e frutas, agora por ocasião do Natal. Se tal não ocorrer, os marilienses serão “assaltados” de maneira abusiva e os preços serão cobrados conforme “a cara do freguês”.

--:--

A Guarda Civil poderia solicitar aos dirigentes de veículos, principalmente os de porte pesado, que evitassem de parar na Rua São Luiz, à noite, durante a permanência do comércio aberto no período noturno.

--:--

Fala-se em novos aumentos das tarifas ferroviárias da Companhia Paulista. Positivamente essa Paulista é mesmo de uma ascensão notável... bi que diz respeito à elevação de seus preços.

Extraído do Correio de Marília de 17 de dezembro de 1959

Nenhum comentário: