terça-feira, 10 de maio de 2011

Ambulatório e Pôsto de Abastecimento do Sesi (10 de maio de 1959)

Escrevemos alguns artiguetes sôbre a necessidade do Serviço Social da Indústria instalar em Marília, mais um Pôsto de Abastecimento do Sesi. Justificamos nossas assertivas, em face dos excelentes serviços prestados pelo estabelecimento dêsse porte, já existente entre nós, que proporciona aos industriários, a faculdade da obtenção de gêneros de primeira necessidade, por preços inferiores aos do mercado normal. Sucede, conforme asseveramos, que a densidade demográfica de Marília e o nível de sua expansão territorial e urbanística, estão a exigir outro desses Postos, numa localização diferente, de maneiras a proporcionar vantagens e facilidades aos industriários residentes em outras partes da “urbe”.

Um de nossos comentários a respeito desse assunto, mereceu espontaneamente, interesses do deputado Luciano Nogueira Filho, que, tendo-o recortado, encaminhou-o juntamente com um pedido, a autoridade do Sesi, para que a pretensão de Marília, por nós delineada, seja atendida com a máxima urgência.

Ante ontem, focalizamos a necessidade de Marília ser aquinhoada com um Ambulatório do Sesi, lacuna que de há muito está sendo reclamada entre a grande e laboriosa classe industriária local. Citamos, como exemplo, a referida melhoria óra outorgada aos industriários da cidade de Jaú, centro que deverá, pensamos, carrear aos cófres do IAPI, soma algo menor do que a canalizada pelos industriais e industriais marilienses.

Não que fossemos contrários aos benefícios óra emprestados ao povo de Jaú, mas sim porque, já por um simples direito de equidade, sem contar-se o aspecto legal, Marília, tem urgência e até certo ponto, prioridade acêrca desse melhoramento.

Nosso escrito encontrou a repercussão devida, uma vez que diversas pessoas nos procuraram, solicitando-nos o prosseguimento da campanha. Dentre os amigos e leitores que de nós se acercaram com êsse idêntico objetivo, contamos com o sr. José Lourezetti, dinâmico presidente do CIESP local. Disse-nos S. S. que a delegacia de Marília do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo está ao nosso lado, vivamente interessada em que nossa cidade consiga esses dois empreendimentos, há muito reclamados. Por seu turno, o CIESP local está trabalhando no sentido de que sejam atendidas tais reivindicações indiscutíveis da classe industriária mariliense.

Por aí, verificarão os leitores que os assuntos que focalizamos são vitais e necessários e que está justificado perfeitamente o apêlo que lançamos as autoridades constituídas e as entidades de classe da cidade, no sentido de que formassem fileiras conosco, reforçando os pedidos que formulamos e que óra referimos.

Com esse objetivo, é que tornamos ao assunto, certos de que, sendo a questão de interesse geral dos marilienses, uma vez que diz respeito direto a uma grande e obreira classe, há de encontrar a devida guarida no seio das autoridades, órgãos e entidades que podem nos auxiliar nesses apêlos, que são, antes de mais nada, de uma classe e não de um simples grupo de pessoas.

Havendo melhores e mais amplas justificações, formuladas em côro certos estamos que o Serviço Social da Indústria, há de bem aceitar as razões dessa necessidade mariliense.

Vamos, portanto, pedir ao Serviço Social da Indústria, não como favor, embora o façamos de maneira altiva e democrática, mais sim como um direito que temos e que está sendo relegado. Necessitamos, urgentemente, de mais um Pôsto de Abastecimento do Sesi e de um moderno e eficiente Ambulatório Médico do Sesi.

Alguém mais está conosco e com o CIESP?

Extraído do Correio de Marília de 10 de maio de 1959

Nenhum comentário: