sexta-feira, 20 de maio de 2011

Ainda o Pôsto de Abastecimento do Sesi (20 de maio de 1959)

Nossos escritos acêrca da indiscutível necessidade, em ser instalado em Marília mais um Pôsto de Abastecimento do Sesi, continua a encontrar repercussão favorável. Abordamos o assunto em referência, após termos observado que o estabelecimento dêsse pórte, já existente entre nós, vem prestando serviços inestimáveis aos industriários marilienses, colaborando, diretamente, com os orçamentos domésticos daqueles que trabalham nas indústrias locais. Por outro lado, constatando também que os benefícios usufruídos pela citada classe, não apresentam compensação total em comparação às cifras aquí arrecadadas, tivemos no caso, mais uma razão e uma nova fôrça para continuar a reivindicar o citado melhoramento.

Divulgamos e demos ciência, aos nossos leitores, das manifestação de aprêço e apôio que a respeito tivemos o ensejo de receber, inclusíve os aplausos do dinâmico delegado do CIESP local, Sr. José Lourezetti. Ontem (19/5/1959), fomos procurados pelo Sr. Lorenzatti, que nos apresentou a pessoa do sr. Zoroastro Francisco da Silva, Inspetor Regional do Sesi em Baurú, aquí chegado com a missão especial de verificar as possibilidades do atendimento de nossos reclamamos, agora já secundados por outras autoridades e entidades. Da rápida palestra que mantivemos com aquele zeloso funcionário, ficamos cientes de suas intenções em trabalhar também para o desfecho final satisfatório de nossa reivindicação. Tanto assim, que o mesmo senhor mostrou-se bastante otimista com respeito ao assunto, tendo feito um levantamento da situação de Marília perante ao Sesi e a classe industriária local, concluindo ser perfeitamente viável e indiscutivelmente necessário êsse atendimento.

Efetivamente, possuímos alguns dados capazes de justificar os motivos dessa luta, que, de maneira alguma é nossa ou da mesma temos interesse terceiro ou pessoal; no caso, nossa única intenção é solicitar para Marília aquilo que a cidade reclama com razão.

Vejamos então o caso que nos dá autoridade a clamar por essa melhoria. Temos atualmente em Marília, 272 indústrias, sendo 180 grandes e 92 pequenas. Nessas indústrias, 2.524 operários registrados exercem atividades diversas (392 nas pequenas e 2.132 nas grandes indústrias). O Sesi arrecada, só através do IAPI, a importância de 140 mil cruzeiros mensalmente, em números redondos, aquí em Marília.

Querem ver agora os leitores, quantas pessoas atende o único Pôsto de Abastecimento do Sesi que possuímos? Pois bem: 2.524 operários, tem as suas famílias e calculando-se, por baixo, cada família de 3 pessoas em média, temos 7.572 pessoas servindo-se do Pôsto de Abastecimento do Sesi, só no setor da indústria. Êsse número sófre atualmente um acréscimo de mais ou menos 5.000 pessoas, correspondente a 1.713 inscrições junto ao Sesi, realizadas por intermédio de contribuintes do IAPETEC, somando, então, a cifra de 12.572 almas. Este número, entretanto, de conformidade com os esclarecimentos que nos foram prestados pelo Sr. Zoroastro Francisco da Silva, tem um adicional de mais ou menos 5.200 outras pessoas, que usufruem benefícios de abastecimento no Pôsto do Sesi e que são os empregados de oficinas de reparação e consertos, não considerados, em toda a expressão, como industriários. Daí, o número citado, passa a ser de 14.772 pessoas legalmente em condições de gozar os benefícios que proporciona aos marilienses, o único Pôsto de Abastecimento do Sesi.

Um só desses estabelecimentos, numa cidade como Marília, e, ante os números citados e irrefutáveis, é realmente pouco. Estamos certos?

Extraído do Correio de Marília de 20 de maio de 1959

Nenhum comentário: