sexta-feira, 18 de março de 2011

O dia do município (18 de março de 1959)

Avisinhamo-nos de 4 de abril, o Dia do Município de Marília, data que marcará a passagem do 30º aniversário de nossa emancipação política co-administrativa.

Grandes festividades estão programadas e os membros da Comissão de Festejos continua incansável no mistér de tudo providenciar, de maneiras a realizar as festividades do evento, sem que possam deixar margens a desejar alguma coisa.

Câmara e Prefeitura, coesas como sempre, estão com suas vistas voltadas para o fato, preocupadas em que tudo transcorra de maneira brilhante, de modos que os marilienses sintam a grandeza da data festiva e os forasteiros e autoridades visitantes perceberam de que em nossa cidade existe, antes e acima de tudo, o espírito de unidade, a demonstração inequívoca de amor por Marília e de respeito às autoridades constituídas.

Mistér se faz com que a indústria e o comércio colaborem positivamente para melhor ilustrar tal efeméride. Enfeites de vitrinas, dísticos, fatos alegóricos etc., devem ser os motivos primordiais, para um ar diferente, um aspecto de alegria à cidade.

O programa, embora não divulgado, está completo e seus elaboradores estão sendo preocupadamente sinceros na sua confecção. A Banda dos Fuzileiros Navais, a visita do Presidente da República e Governador do Estado, a realização da Primeira Jornada Odontológica de Marília, o espetáculo pirotécnico, a grande parada cívico-militar, o Museu Relâmpago da F. E. B., futebol e cestobol, são, dentre muitos motivos, os atrativos principais da data.

Os marilienses terão um dia inteiro tomado, pois segundo nos asseverou um elemento da Comissão dos Festejos, a ordem das realizações está sendo arquitetada de tal maneira, que desde as primeiras horas da manhã até as últimas horas da noite, em horários diferentes e continuados, sejam realizadas as diversas partes das festividades referidas.

Por aí se verifica que existem comprovadamente boas intenções em alcançar êxito total. O prestígio do público, êsse se conta com antecipação, pois duvidamos que possam existir entre nós, alguns marilienses que não sintam, por mais apáticos que possam ser, uma certa euforia pelo acontecimento, que marcará o transcurso da terceira década de nossa vida municipal.

Se dizem por aí que somos bairristas, nós que entendemos o bairrismo como um sentimento natural de amor a um torrão, pensamos que devemos continuar a ser bairristas e propagar com orgulho e em vozes altas, a grandeza de nossa cidade e o espírito laborioso de nossa gente, responsável direta pela construção da “urbe” que nos orgulhamos em habitar.

Marília tem razões para fazer uma festa de aniversário de município, com as pompas que a cidade é merecedora; principalmente tendo-se em conta que no passado, as comemorações de igual jaez, de modo geral, cingiram-se a presenciação de uma parada cívica, uma sessão solene na Câmara Municipal e uma partida de futebol. Em resumo, o povo, êsse que trabalha e produz, êsse que é responsável pelo dinamismo dêste adiantado centro, ficou restrito a presenciar, na ocasião, apenas o desfile e a tarde esportiva. Desta vez, não; só o espetáculo que lhe será oferecido pela Banda dos Fuzileiros Navais, valerá uma fortuna de encantamento para os olhos. Nós podemos afirmar isso, porque, com diversas outras pessoas, tivemos o ensejo de apreciar, por mais de uma vez, as maravilhosas evoluções dessa banda marcial, famosa e tradicional no Brasil e mesmo em todas as partes do mundo. A mesma corporação que já se exibiu na Inglaterra, a convite da Rainha Elizabeth e que tem convites para apresentar-se em outras nações do mundo, estará se exibindo aos marilienses em geral e aos visitantes oriundos de outras cidades, no vindouro Dia do Município.

Afóra isso, repetimos, só esse ineditismo em Marília, já representaria um grande espetáculo. Acontece, porém, que teremos outras tantas coisas a apreciar. O povo, desta vez, pelo que estamos percebendo, vai ter uma festa a altura e vai ter alguma coisa para vez na data magna de nosso município.

Extraído do Correio de Marília de 18 de março de 1959

Nenhum comentário: