sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Sofrerão aumento as mensalidades escolares (24 de dezembro de 1958)

De acôrdo com declarações do Sr. Oswaldo Coutinho, Secretário do Ministério da Educação e Cultura, as anuidades escolares sofrerão um aumento de 30% no ano vindouro (1959).

Uma Comissão Especial foi nomeada para elaborar o trabalho desse aumento, que deverá estar concluído ainda antes do fim do mês. Ao mesmo tempo, conforme se expressou aquele funcionário, a repartição referida está cuidando de um plano de fiscalização, destinado a evitar quaisquer abusos dentro do setor da cobrança dos aumentos que fatalmente virão.

Informa-se a respeito, que no Estado de Minas Gerais, um grupo de diretores de diversos estabelecimentos de ensino resolveu majorar, em 40%, as anuidades para o próximo ano letivo, à revelia do Ministério (que foi ao) Supremo Tribunal (reivindicar o direito de) controlar os preços cobrados pelas casas de ensino do país.

O sr. Oswaldo Coutinho garantiu que o MEC não permitirá qualquer aumento antes da conclusão dos estudos que estão sendo feitos pela comissão para isso constituída, nem após, acima das bases por ela estabelecidas.

“Quanto ao caso de Minas Gerais, vamos apurar; não só esse, mas todos os demais aumentos ilegais serão reprimidos e os pais dos alunos devem recusar em aceitá-los, colaborando deste modo com o Ministério da Educação” - disse.

Reunindo-se quase que diariamente, a comissão que vem estudando as possibilidades do aumento das anuidades escolares, para 1959, é formada pelos seguintes elementos: professor Ely Menegale, diretor do Departamento Nacional de Educação; professor Gildasio Amado, diretor do Ensino Secundário e professor Lafayette Del Ford Garcia, diretor do Ensino Comercial, sob a presidência do professor Clovis Salgado, Ministro da Educação.

Como se vê, é provável que até o último dia do ano expirante (1958), o Ministério da Educação e Cultura tenha em seu poder o relatório final da citada comissão, a fim de traçar e divulgar o que de verdade existirá acêrca da questão, para o ano de 1959.

Não há negar que existem algumas razões para esse pretendido aumento, pois certo é que muitos professores, atualmente, são mal remunerados. Igualmente, é inquestionável que acontecerá mais um fato para mais sacrificar as bolsas da classe pobre. Enfim, isto aqui é mesmo um “móto contínuo”...

Extraído do Correio de Marília de 24 de dezembro de 1958

Nenhum comentário: