segunda-feira, 31 de maio de 2010

A Rádio Patrulha (31 de maio de 1958)

Marília acaba de ser incluida no ról de melhoramentos policiais condizentes com o seu progresso, seu dinamismo e suas exigências.

A inauguração oficial, ontem, ocorrida, dos serviços da Rádio Patrulha, atestam a presente afirmativa.

Três viaturas especiais, sendo uma “perua” e dois “jeeps”, compõem a parte motorizada dêsse melhoramento. O próprio Secretário da Segurança Pública, sr. José Ataliba Leonel, em rápida palestra mantida conosco, afirmou sua admiração pelo fato de Marília não ter completado essa lacuna no passado. Significa tal asseveração, que o titular da referida Pasta de Estado, soube bem interpretar as necessidades da família mariliense nesse particular.

De fato, o público deve estar grato e reconhecido pela deferência com que acaba de ser aquinhoado, que representa, sem nenhum negar, ao par de u’a necessária obrigação do Poder Estadual, uma atenção também para Marília e os marilienses.

O Serviço de Rádio Patrulha ligará de imediato, todos os pontos da cidade, através das comunicações radiofônicas em frequência modulada. Facilitando as próprias atividades do policiamento preventivo e repreensivo, constituindo acima de tudo, num motivo de maior segurança pública. É sabido, que até aqui, o policiamento vinha sendo feito, pelo processo que poderia ser chamado de rudimentar, exigindo um desdobramento profundo do organismo policial; apresentando, por vezes algumas falhas facilmente justificáveis, porém dificilmente aceitáveis para certa camada pública, habituada a não considerar fatos e nem perdoar aquilo que, pela sua razão ou pela sua origem, é possível de perdão.

Dispondo presentemente a polícia local, dêsse elemento auxiliar e imprescindível ao próprio organismo, inavaliáveis serão os benefícios que o próprio público auferirá. Ademais, acrescente-se a êsse fato, o tirocínio policial-administrativo daquêles que estão imbuídos da responsabilidade dêsses trabalhos.

Os dois “jeeps” – R. P. 1 e R. P. 2 –, são dotados de rádios, receptores e transmissores. A “perua”, remodelada, além de auxiliar nos serviços de patrulha e policiamento, apresenta duas outras finalidades, quais sejam: servir para diligências e fazer as vezes de carro de presos, o famoso “tintureiro”. Afirmou também o sr. Ataliba Leonel, que a referida viatura contará também, em breve, com aparelhagem de rádio.

Um acontecimento marcante na própria vida de Marília, cidade que apesar de nova apresenta invejável índice de crescimento e progresso. A Rádio Patrulha é um complemento imprescindível do próprio progresso de um núcleo.

Na oportunidade dêste rápido registro, desejamos nos congratular com o Governador do Estado, que soube atender aos reclamos da vida da cidade, com o Secretário da Segurança Pública que soube compreendê-los, com a polícia local, que dispõe agora dêsse elemento, e, em especial, com a própria família mariliense, que acaba de ganhar mais um motivo de segurança e tranqüilidade.

Extraído do Correio de Marília de 31 de maio de 1958

Nenhum comentário: