domingo, 4 de abril de 2010

Hosanas a Marília (4 de abril de 1958)

Nêste 4 de abril, data magna da emancipação municipal de nossa grande e querida cidade, aqui estamos também, para exteriorizar nossa alegria pelo ensejo do transcurso.

Estamos em festa e participamos dos acontecimentos que hoje se desenrolarão em todos os pontos da cidade, com a alegria incontida de todos os marilienses – autênticos ou genuínos –, de tôdas as que pulsam de amor por estas plagas acolhedoras, esta colméia de labor insano e profícuo, esta célula de dinamismo e arrojo, dentro do Estado líder da Federação.

Vinte e oito anos de emancipação administrativa, completa hoje nossa cidade. Pouco mais de um quarto de século e menos de trinta anos de vida municipal. Tempo relativamente curto, frente ao vulto de realizações do povo mariliense, coeso com suas autoridades, ombreado num só desiderato: engrandecer a Capital da Alta Paulista.

Justifica-se, perfeitamente, o nosso bairrismo, como fenômeno natural de todo sêr humano. Esta cidade, que escolhemos para nosso lar e que é o berço de nossos filhos, soube corresponder aos trabalhos que lhes dedicamos. Cresce dia a dia, com aquela vertigem natural dos grandes centros. Espande-se com aquela graça e beleza de uma jovem adolescente. Convergem dia a dia, para nossa cidade, as atenções dos povos de outros centros. Os que não a conhecem, pelo menos já ouviram dizer maravilhas de seu vertiginoso crescimento. Os que aqui aportaram um dia, foram espontâneos e sinceros em dispender elogios fundamentados, acerca de seu dinamismo e do trabalho de seu grande e laborioso povo.

Temos em nós, o orgulho incontido, de ter sido Marília citada com abundância de pormenores, pelo jornal “Times” de Londres, como “um verdadeiro fenômeno de crescimento e progresso”.

Hoje Marília completa seu 28º aniversário de independência municipal. A 24 de dezembro de 1928, pela Lei 2.320, nossa cidade foi elevada a Município, cuja instalação solene teve lugar no dia 4 de abril de 1929, precisamente às 10 horas, num prédio então existente no local onde hoje ergue-se o edifício próprio da Associação Comercial local. O acontecimento de 28 pretéritos foi presidido pelo sr. João Carneiro da Fonte, então Juiz de Direito da Comarca de Piratininga, tendo sido o primeiro prefeito municipal de Marília o engenheiro Durval de Menezes.

Agora, Marília é êste fenômeno de dinamismo e realizações que aqui vemos: cerca de 9.000 prédios, mais de 40.000 habitantes, um potencial de indústrias em plena ascensão, um comércio dos mais sólidos e completos, um centro bancário dos maiores do interior, uma agricultura e uma pecuária dignas de menção especial.

Por isso, apresentamos aos marilienses e aos forasteiros, nesta auspiciosa data de 4 de abril, esta nossa esicao especial do CORREIO DE MARÍLIA, o jornal que viu e acompanhou o crescimento de Marília, sempre divulgando a sua vida e os seus acontecimentos.

Neste 4 de abril, nós que aportamos no início desta cidade, quando os clarões nas matas estavam longe de prefaciar o progresso de nossos dias, o crescimento quase incrível de nossa querida cidade, congratulamo-nos com Marília e seu grande povo, suas autoridades e os verdadeiros amigos desta querida e extremecida terra.

Hasanas a Marília, neste feliz 4 de abril!

Extraído do Correio de Marília de 4 de abril de 1958

Nenhum comentário: