quinta-feira, 11 de março de 2010

Professorado Católico de Marília (11 de março de 1958)

Vêm o professorado católico de Marília, de tomar uma decisão bonita, com respeito à construção da futura capela de Nossa Senhora da Glória em nossa cidade.

O citado Templo, inicialmente será erguido numa construção de “duratex”, à título precário, representando um presente dos professores católicos da cidade à família católica mariliense.

Para tal, já foi adquirido o competente terreno, na Av. Sampaio Vidal, confluência com a Rua Bandeirantes. Ponto central, rua bonita, num local onde mais um templo de fé erguerá para as alturas a Cruz de Cristo.

Diversos professores constituem a Comissão Especial que está angariando os respectivos fundos, objetivando efetivar a medida em téla dentro de breves dias. À testa dêsse organismo, encontra-se a professora D. Zélia Sproesser, eficientemente coadjuvada por um grupo de bem intencionados mestres.

A aludida comissão procurará, conforme está procurando, todos os professores da cidade, chamando-os a acercarem-se dêsse movimento. Até agora, conforme pudemos perceber, a idéia encontrou a mais perfeita guarida no seio do professorado católico de nossa cidade e os mais entusiásticos aplausos por parte da grande porcentagem dos católicos locais.

O Tempo, inicialmente construido de “duratex”, embóra tenha o seu lado de ineditismo, traduz, sob outro prisma, o desejo ardente da consumação de uma idéia louvável e que representa, sem nenhum negar, um empreendimento que se constituirá, num futuro bem próximo, numa realidade insofismável, num marco de fé dos mais grandiosos.

Não conhecemos, “de visu”, o andamento das medidas óra em execução pela Comissão em apreço. Sabemos, no entanto, após duas palavras telefônicas com D. Zélia Sproesser, que uma vontade indômita em levar a cabo tal iniciativa, de maneira rápida, domina todas as pessoas que estão trabalhando néssa empreitada. Por outro lado, estamos certos da grande receptividade que a idéia vem encontrando dentre os professores católicos de Marília, e, ao par déssa convicção, só nos resta a afirmativa de que o movimento alcançará seus plenos objetivos, como sempre sucedem com as boas iniciativas surgidas em Marília.

Embóra não estejamos devidamente autorizados, fazemos daquí um apêlo aos professores católicos de Marília, para que não deixem de colaborar com a referida Comissão, quando procurados. E antecipamos a certeza de que todos serão convidados a emprestar a sua colaboração, por mais modesta que seja.

Não há dúvidas, que, com êsse empreendimento, o professorado Católico de Marília deixará perpetuado na própria história das boas causas da cidade, uma página gloriosa. Propugnar por mais êsse marco de fé em nossa cidade, é uma ação das mais dignas imagináveis. Realizar uma óbra de tal vulto e déssa envergadura, é efetivar um trabalho merecedor dos mais rasgados encômios.

Nossos parabéns, portanto, aos professores católicos de Marília, ao lado de nossos votos de cabal efetivação déssa magnífica e apreciável idéia.

Extraído do Correio de Marília de 11 de março de 1958

Nenhum comentário: