domingo, 31 de janeiro de 2010

Edição Especial do “Correio” (31 de janeiro de 1958)

Como sabem todos, é praxe e tradição deste jornal, presentear seus assinantes anualmente, com uma edição especial, em formato de revista, hoje conhecida como a “Revista do Correio de Marília”. Tal edição, normalmente, têm circulado por ocasião das festas natalinas. No ano findo, deixamos de confeccionar dito trabalho, adiando a data de sua publicação, para render, agora em 1958, u’a homenagem ao 30º aniversário de Marília.

Já estamos iniciando os primeiros passos à respeito, depois de estudos e elaboração do competente plano técnico e redatorial. Assim, pretendemos presentear nossos assinantes e leitores, com éssa edição especial, por ocasião do próximo Dia do Município.

Será, como das vezes anteriores, um compêndio de fatos e acontecimentos da vida da cidade e das realizações de seu povo, ilustrado com vasto serviço de clicherie, impresso em papel de primeiríssima ordem e em várias cores.

Dentre os trabalhos da redação, enriquecidos como sempre com colaborações férteis e agradáveis em torno da oportunidade do momento, iremos executar retrospecto da vida de Marília em trinta anos. Será um serviço exaustivo, paciente mesmo. Necessitaremos rebuscar as amarelecidas pelos anos e empoeiradas pelo tempo páginas deste jornal, desde o seu primeiro número, de 1º de Maio de 1928, até a data presente. Uma compilação dos primordiais acontecimentos da trepidação e do progresso de Marília de Dirceu, inseridos nas folhas de nosso órgão. Será um apanhado dos motivos mais destacados, um acompanhamento, enfim, da caminhada progressista e vertiginosa de Marília.

Como será fácil perceber, uma iniciativa que demandará tempo e cuidados, uma vez que serão relidos todos os números do “Correio”, artigo por artigo, publicação por publicação, de uma pilha enorme de jornais. E confessamos que faremos tal trabalho com prazer, porque sempre tivemos satisfação em difundir as coisas de nossa terra e de nossa gente. Tal compilação traduzirá tripla significação: rememorará a saudade dos antigos marilienses, os “descobridores da cidade”; despertará a curiosidade natural e o orgulho normal dos novos marilienses; carreará ainda mais à Marília e seu povo, a simpatia dos forasteiros pelas realizações da “cidade menina”.

Esse será o objetivo dêsse trabalho que pretendemos fazer e que se Deus quizer, levaremos à cabo, para apreciação de nossos leitores. Se conseguiremos atingir o objetivo, sentir-no-emos satisfeitos, como satisfeitos se sentem todos aqueles após o dever cumprido.

Além disso, focalizará êsse numero especial dedicado ao Município de Marília, um plano estatístico da vida da cidade, com números oficiais, compilados paciente e estudadamente. Aspectos da vida social, realizações, finanças, empreendimentos, enfim, integrarão a referida tiragem. Focalizaremos o arraial de Marilia e a cidade de Marília.

Esta crônica é feita à guisa de uma clarinada, principalmente tendo muita gente procurado saber as razões do porque não circulou a “Revista do Correio de Marília” no último Natal.

Temos certeza de que nossos leitores serão recompensados com a demora e esperamos convictos de que nosso trabalho irá agradar a todos, especialmente os bons marilienses, os que de fato acompanham com amôr o progresso da cidade e em particular os que sempre nos prestigiaram com apôios, simpatias, confiança e atenções.

Extraído do Correio de Marília de 31 de janeiro de 1958

Nenhum comentário: